sábado, 17 de dezembro de 2016

VERBA DE DESEMPENHO PARLAMENTAR

Segundo promotor, 'documentação muito forte' já foi enviada ao órgão comprovando 'esquema sofisticado de simulação de despesa'.

TCM cobra celeridade ao MPCE em investigação contra vereadores de Fortaleza por desvio de R$ 11 milhões
O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e o Ministério Público de Contas do Estado do Ceará (MPC-CE) irão requerer, junto ao Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), maior celeridade na investigação do esquema de desvio de Verba de Desempenho Parlamentar (VDP) que vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), com rombo estipulado em R$ 11 milhões.

Segundo fonte ligadas ao TCM, já foram enviadas ao MPCE provas "satisfatórias e inconstestáveis" suficientes para afastar até mesmo o próprio presidente da Câmara, o vereador Salmito Filho (PDT), e suspender a nomeação de outros 22.

Esquema

Em desdobramento de ação contra os ex-vereadores Antônio Farias de Sousa (Aonde É), e Leonel Alencar Júnior (Leonelzinho Alencar), o inquérito investiga esquema de desvio de verba mediante apresentação de recibos falsos dos Correios para justificar despesas dos gabinetes dos vereadores.

"Temos uma documentação muito forte que mostra de forma clara que foi montado um esquema sofisticado de simulação de despesa", afirmou o o promotor Marcus Amorim de Oliveira, à época da descoberta do escândalo, em outubro de 2015.

Todos os vereadores têm acesso à Verba de desempenho parlamentar para custear despesas como locação de veículos, combustível, material gráfico, passagens aéreas, entre outras. Todos os 43 vereadores de Fortaleza foram chamados pelo MPCE para prestar depoimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário