sexta-feira, 2 de outubro de 2015

AMEAÇA DE PERDA DE MANDATO BARRA SAÍDA DE VEREADORES DO PROS

Ameaça de perda de mandato barra saída de vereadores do PROS

cid gomess 
O ex-governador Cid Gomes deflagrou, durante esta sexta-feira, uma verdadeira operação de guerra para barrar a saída de vereadores do PROS para o PDT. A decisão, comunicada aos diretórios e comissões provisórias do PROS na Região Metropolitana de Fortaleza e de cidades do Interior, foi tomada após o surgimento de informações sobre ações de pedido de perda de mandato por infidelidade partidária.

Cauteloso e aconselhado por assessores jurídicos, Cid Gomes, ao lado do presidente da Assembleia Legislativa, José Albuquerque, e do presidente do PROS no Ceará, Leandro Vasques, mandou a recomendação, pela internet, para os vereadores. A legislação eleitoral permite a troca de partido, para detentores de mandatos, desde que a nova sigla seja recém-criada. A restrição é para vereadores, deputados estaduais e federais. Os detentores de mandatos majoritários – prefeito, senador, governador e presidente da República, não são alcançados pela legislação.

A nota da Executiva Regional do PROS, assinada pelo presidente Leandro Vasques, tem o seguinte conteúdo: ‘’Conforme solicitação da Direção Estadual do PROS/CE, bem como do ex-governador Cid Ferreira Gomes e do presidente da Assembleia Legislativa, Zezinho Albuquerque, orientamos que os mandatários do cargo de vereador (a) filiados ao PROS nos municípios do Ceará, permaneçam filiados ao PROS’’.
 
Os vereadores do PROS estavam a caminho do PDT – partido que recebeu, na última segunda-feira, a filiação de, pelo menos, 46 prefeitos ligados aos irmãos Cid e Ciro Gomes. O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, puxou o grupo de novos filiados. O ex-governador e ex-ministro Ciro Gomes já havia se filiado ao PDT.
Os dirigentes do PDT esperavam ampliar as bases municipais da agremiação com, pelo menos, 200 vereadores oriundos do PROS. A janela partidária permite que os vereadores troquem de partido a sete meses da eleição, ou seja, em março de 2016.

O pedido de perda de mandato pode ser feito por suplentes dos vereadores ou pelo Ministério Público Eleitoral. Houve temor de dezenas de vereadores que não gostariam de correr o risco de entrar na disputa pela reeleição respondendo a ações de perda de mandatos. A cúpula do grupo político comandado pelos irmãos Cid e Ciro Gomes ouviu o sentimento dos vereadores e decidiu aconselhá-los a permanecer no PROS

Nenhum comentário:

Postar um comentário