domingo, 5 de julho de 2015

ELEICÕES EM FORTALEZA, O ANO ELEITORAL DE 2016 JÁ COMEÇOU

Eleição municipal. Em Fortaleza, o ano eleitoral de 2016 já começou para muitos partidos

A um ano das convenções que confirmarão quem disputará eleição em 2016, principais grupos políticos já dão sinais claros de quem serão seus candidatos na "Taça Prefeitura".
 
As eleições são experimento que, a cada dois anos, repete rito semelhante ao de uma Copa do Mundo. Se há hora de fazer gol e hora de levantar a taça, há ainda momento de montar o time – em burburinho que fica quase sempre distante das câmeras. A um ano das convenções que confirmarão quem disputará a sucessão na Capital, principais grupos políticos do Estado já sinalizaram seus candidatos para a “Taça Prefeitura”.

Com etapas importantes ainda por vir, muitas das candidaturas podem seguir indefinidas até julho próximo. Apesar disso, o eleitor possivelmente terá, em 2016, opções bem próximas das que já estão apresentadas hoje – ao menos dos maiores partidos.

A largada ficou mais evidente nesta semana, com reuniões entre o ex-governador Cid Gomes (Pros) e a cúpula nacional do PDT. Alegando “desconforto” com o Pros, Cid avalia migrar bloco para o ninho pedetista. Nos últimos dias, outros líderes, como a ex-prefeita Luizianne Lins (PT) e o senador Eunício Oliveira (PMDB), também intensificam agenda para a sucessão da Capital.

Resta ainda, porém, importante definição do Congresso, que pode criar nos próximos meses uma “janela” para troca de partidos. “Caso isso aconteça, o quadro eleitoral muda muito, fica uma situação nova”, diz Sérgio Aguiar (Pros). Paralelamente, o deputado Domingos Neto (Pros) articula recriação do PL no Ceará, que poderia abrigar membros do Pros.

Escalações
A candidatura mais “fechada”, até agora, é a de Roberto Cláudio (Pros) à reeleição. Puxado pelo grupo de Cid, RC ainda precisa lidar com pouco tempo de TV de seu partido – especialmente em disputa contra “gigantes” como PMDB e PT – e rusgas entre o Pros local e o nacional. A migração para o PDT poderia resolver estes problemas.

No exercício do mandato, RC será “alvo” de todos os candidatos de oposição. Nas últimas semanas, Luizianne e Eunício já sinalizaram que vão investir em críticas a promessas não cumpridas da campanha do prefeito.

Com as máquinas estadual e municipal, o prefeito já planeja agenda de eventos e de entrega de obras. Paralelamente, o prefeito tem investido na associação com o governador Camilo Santana (PT), em estratégia para minar tese de candidatura própria de Luizianne Lins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário