domingo, 28 de junho de 2015

VENDA DE LIMINARES

Venda de liminares – PF prende foragido que teria sido beneficiado

Mais um suspeito de envolvimento no esquema de venda de liminares do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) prestou depoimento na sede da Polícia Federal, em Fortaleza. Policiais que integram a Operação Expresso 150 prenderam, no começo da noite de ontem, Djacir de Sousa Silva. Segundo O POVO apurou, ele teria sido beneficiado com a compra de um habeas corpus em 2013. Caso investigado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

Havia contra Djacir de Sousa Silva um mandado de prisão em aberto. A princípio, os policiais federais cumpriram um mandado de condução coercitiva determinado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Djacir de Sousa foi interrogado, a exemplo de três desembargadores, advogados e parentes de magistrados, por suposto envolvimento no escândalo das vendas de liminares em alguns plantões do judiciário cearense. Mas, ao contrário de outras pessoas ouvidas na Polícia e Justiça Federal, Djacir não foi liberado após o interrogatório. 
 
A Operação Expresso 150 foi deflagrada no último dia 15 pela Polícia Federal e determinada pelo CNJ. Na ocasião, o desembargador Carlos Feitosa foi afastado do cargo pelo período de 90 dias. O magistrado foi ouvido na sede da Justiça Federal em Fortaleza.


Além da busca e apreensão no gabinete e residência do desembargador, a PF cumpriu outros 27 mandados de busca e 13 de condução coercitiva. O suposto esquema de venda de liminares é investigado pelo CNJ desde fevereiro de 2014. No Conselho, a investigação, que ainda não foi concluída, envolveria cinco desembargadores e advogados.

Em abril de 2014, o então presidente do TJCE, desembargador Luiz Gerardo Brígido, admitiu haver um esquema de venda de habeas corpus durante os plantões judiciários. De acordo com o magistrado, a venda ocorria desde 2011.”

(Por Demitri Túio – O POVO Online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário