quinta-feira, 7 de maio de 2015

A GRANDE VITÓRIA É A REFORMA POLÍTICA, DIZ DANILO FORTE


“A grande vitória da 55ª legislatura da Câmara dos Deputados é dar ao Brasil uma reforma política”, diz Danilo Forte


Peemedebista defende que pontos consensuais sejam aprovados logo; Prazo para que alterações valham nas eleições de 2016 é até setembro

 DA ASSESSORIA

(Brasília-DF, 07/05/2015) “A grande vitória da 55ª legislatura da Câmara dos Deputados é dar ao Brasil uma reforma política”, disse nesta quinta-feira, 07, o deputado Danilo Forte (PMDB-CE) ao participar dos debates da Comissão Especial da Casa que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 182/07 que trata sobre o tema.
A intervenção do peemedebista cearense aconteceu após o relator da matéria, deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), definir que a apresentação do relatório acontecerá na próxima terça-feira, 12. Castro, ao contrário da maioria do PMDB, quer aprovar o sistema distrital misto (modelo alemão). Por sua vez, a maioria dos peemedebistas quer a aprovação do “distritão”, sistema que elegerá os mais votados. Hoje, são eleitos parlamentares pela combinação que integra votos no candidato e na legenda.
“Eu acho que a gente tem que ter (em mente), inclusive, o que foi o discurso utilizado pelo (ex) governador (e deputado) Espiridião Amin (PP-SC) que vai exatamente (no sentido da) gente construir consensos. Eu acho que a Comissão muito navegou e tem gente muito experiente e que, inclusive, vem de outras legislaturas. E esta legislatura tem uma obrigação diferenciada”, falou.

E disse mais: “A principal marca desta legislatura é oferecer para a sociedade brasileira uma reforma política. Ninguém aguenta mais o sistema (político-eleitoral) da forma que está. Nenhum setor da sociedade aguenta mais isso. Todos nós temos que sair daqui e a grande vitória da 55ª legislatura da Câmara dos Deputados, e do Congresso Nacional, é dar ao Brasil uma reforma política. A gente tem que procurar construir estes consensos”, complementou.

A preocupação de Danilo Forte em construir consensos que permitam a aprovação de itens da reforma política se dá devido ao prazo exíguo para que as alterações propostas possam valer já nas próximas eleições de 2016. Tais alterações precisam ser aprovadas e promulgadas até um ano antes da realização da próxima eleição.

Além da alteração do atual sistema político-eleitoral, os deputados estão debatendo a possibilidade do fim da reeleição, a realização de eleições concomitantes (ao mesmo tempo) com mandatos de cinco anos para todos os cargos, além da forma de financiamento das campanhas eleitorais: se apenas com recursos privados, misto como atualmente, ou com apenas recursos públicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário